26 de dezembro de 2015

Aula de Coreano.....O alfabeto Coreano, história.....



oiiee to sumida não?




Bom de agora em diante teremos aula de coreano


O alfabeto Coreano

1O alfabeto é composto por 14 consoantes e 10 vogais.

É, você deve estar se perguntando “Como assim 10 vogais? Como é possível?”. Calma, parece algo impossível foneticamente, mas neste caso tratam-se de variações das nossas 5 famosas vogais, a e i o u. Na verdade existem mais que somente 10, pois são vogais variantes das variantes. Calma, calma, elas serão apresentadas nas próximas lições.


2. Os formatos de algumas consoantes básicas foram gerados a partir da representação gráfica dos órgãos utilizados no momento da fala.

Tais consoantes são: (k), (n), (s), (m) e (ng).
A partir dessas cinco consoantes foram criadas as demais, de acordo com a correspondência fonética.

3. da bloco silábico do hangul consiste de no mínimo duas e no máximo 5 a 6 entre 24 letras, das quais 14 são consoantes e dez são vogais.








Um Pouco da história:

A escrita hangul (한글), foi introduzida em 1446 pelo rei Sejong, o Grande, o quarto rei da dinastia Choson, em substituição aos ideogramaschineses ("Hanja") (한자, 漢字) usados na Coreia até o século XV. Entretanto, credita-se frequentemente a criação do sistema de escrita à Academia Real (Jiphyeonjeon, 집현전).
O projeto foi completado no fim de dezembro de 1443 ou janeiro de 1444, e descrito em 1446 em um documento intitulado Hunmin Jeongeum ("Os sons apropriados para a educação do povo"), que deu nome ao alfabeto em si.[3] [4] A data da publicação do Hunmin Jeong-eum, 9 de outubro, tornou-se o Dia de Hangul na República da Coreia. A Coreia do Norte celebra o mesmo evento no dia 15 de janeiro.




Várias especulações sobre o processo de criação foram descartadas em 1940, com a descoberta do Hunmin Jeong-eum Haerye("Explicações e Exemplos do Hunmin Jeong-eum"). Este documento, datado de 1446, explica o desenho das consoantes de acordo com a fonética articulatória e as vogais de acordo com os princípios do yin e yang e da harmonia de vogais. Ao explicar a necessidade de um novo sistema de escrita, o rei Sejong alega que a língua coreana era fundamentalmente diferente da chinesa; o uso de caracteres chineses (conhecidos como hanja) para escrever em coreano era tão difícil para a população em geral que apenas uma elite privilegiada (yangban, 양반), normalmente formada por homens, era capaz de ler e escrever fluentemente. A maioria dos coreanos eram analfabetos funcionais antes da invenção do Hangul.


Visite : A Fantástica Fabrica da Adolescência